Polícia apresenta resultados do caso Madeleine nesta segunda

Após 14 meses do desaparecimento da menina, imprensa especula que investigações serão encerradas

Efe,

21 de julho de 2008 | 09h55

Após 14 meses de investigações sem resultados, a Procuradoria portuguesa anunciará nesta segunda-feira, 21,, em comunicado, sua esperada "solução" para o caso da menina britânica Madeleine McCann, com o que a imprensa de Portugal espera que as investigações sejam encerradas.   Veja também: Policial que investigou sumiço de Madeleine lançará livro   Madeleine desapareceu na noite de 3 de maio de 2007 - nove dias antes de seu aniversário de quatro anos - do apartamento onde dormia com os irmãos gêmeos, enquanto os pais jantavam com amigos em um restaurante próximo, no litoral do Algarve.   A imprensa portuguesa está convencida de que a Procuradoria dará por encerradas as investigações e iniciará os trâmites para fechar o caso, enquanto não há nenhuma novidade que justifique a reabertura, embora também tenha a opção de pedir novas diligências ou a abertura de um julgamento.   O procurador-geral português, Fernando Pinto Monteiro, disse na semana passada aos jornalistas que nesta segunda seria anunciada a "solução" do caso da menina britânica desaparecida em 3 de maio de 2007 em uma região turística do sul do país. Os pais de Madaleine, Kate e Gerry McCann, e o britânico Robert Murat, que estava em uma casa próxima ao local, ainda são suspeitos do desaparecimento.   O casal de médicos britânicos e o outro suspeito do caso já obtiveram indenizações após abrirem processos contra vários jornais do Reino Unido por difamação. Em Portugal, a Procuradoria Geral deve retirá-los da condição de suspeitos, embora esta possa ser mantida se houver a opção por alguma das outras duas possibilidades legais que estão abertas, e inclusive fazer uma acusação formal contra algum deles e levar a julgamento.   Informações que vazaram sobre as investigações policiais apontam para o fechamento do caso, devido à falta de resultados concretos nos 14 meses de apuração. A Polícia Judiciária portuguesa entregou aos procuradores no último dia 1º seu relatório final sobre a investigação, sem provas aparentes que tornem claras o paradeiro da menina, ou o envolvimento de Murat ou dos pais de Madeleine no desaparecimento.   As principais suspeitas policiais sobre os McCann são baseadas nos vestígios de sangue e presença de um cadáver que cães da polícia britânica encontraram na casa, em pertences e no automóvel alugado pelo casal após o desaparecimento da menina. Esta semana, alguns meios de comunicação insistiram em que os exames de DNA dessas amostras representam um grau elevado de certeza, mas não chegam aos 100% necessários para manter uma acusação.

Tudo o que sabemos sobre:
Madeleine McCannReino UnidoPortugal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.