Polícia britânica visita creches em busca de 'futuros radicais'

Agentes querem identificar escolas onde crianças podem estar sendo submetidas a uma lavagem cerebral

EFE,

11 de dezembro de 2009 | 15h13

Agentes da Polícia antiterrorista britânica visitaram creches para identificar crianças que possam estar sendo submetidas a uma lavagem cerebral por parte de radicais islâmicos, diz a edição de hoje do jornal The Times.

 

Uma nota interna da unidade antiterrorista da Polícia de West Midlands, na região central da Inglaterra, diz que é importante prestar atenção nos pequenos porque há provas de que a radicalização pode começar já aos 4 anos de idade.

 

Segundo a Polícia, agentes especialmente treinados para identificar crianças e jovens suscetíveis a serem vítimas da influência dos radicais islâmicos visitaram creches.

 

O porta-voz do Instituto para as Relações Raciais, sediado em Londres, Arun Kundnani, entrou em contato com a Polícia e foi informado de que agentes tinham visitado creches.

 

Segundo Kundnani, as forças da ordem temem que as crianças possam fazer desenhos de bombas ou dizer que acreditam em um Estado Islâmico.

 

O porta-voz de Interior do Partido Conservador, Chris Grayling, disse que este trabalho da Polícia pode provocar ainda mais isolamento, enquanto o responsável de Interior do Partido Liberal-Democrata, Chris Huhne, afirmou que esta é uma "absurda perda de tempo". Ambas as legendas sã da oposição.

Tudo o que sabemos sobre:
Londresterrorismocreches

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.