Polícia conclui que ameaça de bomba foi alarme falso em Lourdes

Procissão programada para as 16h30 vai acontecer como previsto

Efe

15 de agosto de 2010 | 12h18

Perigo. Uma ligação anônima alertou à Polícia sobre a colocação de quatro artefatos explosivos no complexo do santuário

 

 

PARIS - Depois do alarme falso de bomba que levou a evacuação de 30 mil fiéis, o santuário mariano de Lourdes, nos Pirineus franceses, voltou a abrir as portas, informou neste domingo, 15, a Prefeitura.

 

A procissão programada para as 16h30 por ocasião da festividade católica da Assunção de Nossa Senhora poderá celebrar-se como estava previsto.

 

Uma ligação anônima alertou à Polícia sobre a colocação de quatro artefatos explosivos no complexo do santuário, avisando que a explosão ocorreria às 15h no horário local (10h de Brasília).

 

Veja também:

Fiéis deixam santuário de Lourdes após ameaça da bomba

 

Os responsáveis pelo culto evacuaram os cerca de 30 mil fiéis, apoiados por cachorros de rastreamento, pudessem examinar o lugar.

 

Não é a primeira vez que o santuário recebe aviso de bomba, em 27 de outubro de 2002 a igreja subterrânea teve de ser evacuada por um episódio similar.

 

O papa Bento XVI visitou o santuário mariano de Nossa Senhora de Lourdes em setembro de 2008 para comemorar o 150º aniversário das supostas aparições de Nossa Senhora à menina Bernadette Soubirous.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.