Polícia conclui que Madeleine foi sedada, diz jornal

Autoridades britânicas e portuguesas acreditam que os três filhos do casal McCann foram sedados

Ansa,

10 de outubro de 2007 | 15h32

A menina britânica Madeleine McCann, desaparecida desde o dia 3 de maio, foi sedada junto de seus irmãos, os gêmeos Sean e Amelie, na noite em que desapareceu do complexo turístico de Ocean Club, no sul de Portugal. De acordo com o jornal português 24 Horas, detetives britânicos e portugueses concluíram que os três filhos do casal McCann foram drogados.   Veja Também Falhas no caso Madeleine Cronologia   Polícia pede DNA de turistas hospedados onde Madeleine sumiu   A nova teoria sugere que os irmãos de Madeleine haviam sido sedados, pois, essa prática funcionou com Maddie para acalmá-la. Enquanto isso, a Polícia Judiciária portuguesa investiga uma evidência "significativa" de que pelo menos sete crianças estariam no quarto de Madeleine na noite em que ela desapareceu.   Os detetives acreditam que os sete amigos que passavam férias com Kate e Gerry McCann em Portugal deixaram seus quatro filhos no mesmo quarto em que a menina dormia. Segundo a Polícia, a presença de tantas crianças e a teoria dos sedativos excluem quase por completo a teoria de seqüestro, como sustentam os McCann.   Os especialistas forenses concordam que o apartamento dos McCann "esconde a resposta" para resolver o polêmico caso.   "É pura besteira. Se você deixa sete crianças juntas, será muito mais difícil fazê-las dormir do que se fossem apenas três", declarou Clarence Mitchell, porta-voz dos McCann.   Até o momento, acreditava-se que Madeleine havia sido deixada dormindo apenas com seus irmãos enquanto os pais jantavam em um restaurante próximo.   Na terça-feira, vários detetives da polícia portuguesa voltaram a inspecionar o apartamento em que Madeleine desapareceu, enquanto se intensifica a investigação. O novo rumo do caso coincide com a nomeação de Paulo Rebelo como o novo chefe do caso.   A polícia britânica pediu aos turistas que estiveram em Ocean Club durante o período em que Madeleine desapareceu para que disponham amostras de DNA e impressões digitais para auxiliar nas investigações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.