Polícia da Itália prende 64 supostos membros da máfia da Ndrangheta

Grupo mafioso é atuante na Calábria; outros 300 suspeitos haviam sido presos semana passada

Efe

21 de julho de 2010 | 10h02

ROMA - A Polícia da Itália deteve nesta quarta-feira, 21, 64 pessoas durante uma operação em várias regiões do país contra a máfia da Ndrangheta, atuante na Calábria. O grupo criminoso é o mesmo que sofreu um duro golpe na semana passada com a detenção de 300 supostos membros.

 

Segundo informaram fontes policiais, a operação, denominada "Santa Tecla", ocorreu com base em 67 ordens de detenção - três delas para outras pessoas já detidas - contra supostos membros do grupo mafioso.

 

A operação, que permaneceu aberta durante várias horas ao longo da manhã desta quarta-feira, se desenvolveu, além de na região da Calábria (sudoeste), nas províncias de Roma, Foggia (sudeste) e Bolonha, Brescia e Milão, no norte.

 

Sobre os detidos, supostamente pertencentes ao perigoso clã "local" do município calabrês de Corigliano (sul da Itália), pesam, entre outras, as acusações de associação mafiosa, extorsão, usura e tráfico de entorpecentes.

 

Entre os detidos estão empresários e familiares de políticos. Segundo os agentes, esta é uma das operações mais importantes realizadas na província calabresa de Cosenza, com a apreensão de bens móveis e imóveis pertencentes à máfia por um valor de 250 milhões de euros.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliamáfiaNdrangheta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.