Polícia dispersa seguidores de Karadzic em Belgrado

A polícia usou gás lacrimogêneo naterça-feira para dispersar jovens arruaceiros durante umamanifestação em prol do ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic,preso sob suspeitas de crimes de guerra, genocídio e crimescontra a humanidade. Enquanto isso, advogados dele tentam evitar sua extradiçãopara o tribunal especial da ONU em Haia, que o indiciou há 11anos por atrocidades cometidas durante a guerra deindependência da Bósnia (1992-95). Karadzic foi preso na semana passada nos arredores deBelgrado, onde vivia sob nome falso, com uma longa barbabranca, prestando serviços de medicina alternativa. Ele ainda évisto por muitos nacionalistas sérvios como um herói. Cerca de 10 mil pessoas compareceram à manifestação nocentro de Belgrado, muitas delAs vindas de ônibus de redutosnacionalistas do interior. Durante o evento, algumas dezenas de jovens ligados atorcidas uniformizadas atiraram rojões, pedras e lixeirascontra os policiais, que reagiram com cassetetes e bombas degás. A imprensa sérvia disse que dez policiais e dez civisficaram levemente feridos. "Vim aqui protestar contra a extradição de Karadzic", disseSlobodanka Sanojevic, de 60 anos, antes da confusão. "Ele é umgrande homem, criou um Estado para os sérvios [da Bósnia] esalvou as crianças sérvias do genocídio." As principais acusações contra Karadzic dizem respeito aocerco de 43 meses contra Sarajevo, que matou 11 mil pessoas, eao massacre de 8.000 muçulmanos em Srebrenica. Sua entrega ao tribunal de Haia é importante para aaproximação da Sérvia com a União Européia, o que parece serintenção do governo pró-ocidental que tomou posse neste mês. Belgrado quer transferi-lo rapidamente, para evitar maismanifestações e também para obter benefícios econômicos -- naterça-feira, a UE adiou uma decisão sobre um tratado, poisdiplomatas disseram que antes gostariam de ver a extradição deKaradzic, o que ainda depende do julgamento de um recurso. Na tarde de terça-feira, uma funcionária da Justiça deBelgrado disse que o recurso ainda não havia sido protocolado.Juristas dizem que a lei não é clara sobre o prazo para isso. Fontes dos serviços de segurança disseram que há dezenas deopções para uma transferência discreta de Karadciz, envolvendoveículos disfarçados, saídas secretas, operações de madrugada efalsas caravanas para enganar os jornalistas de plantão notribunal, na prisão e no aeroporto. Um advogado que trabalha para Karadzic disse que o réu estábem disposto e já prepara sua defesa. Ele recebeu dois ternospara as audiências, um claro e outro escuro. (Reportagem adicional de Ljilja Cvekic)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.