Polícia enfrenta manifestantes durante protesto em Atenas

A polícia grega utilizou gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes durante protesto que reuniu milhares de pessoas em Atenas, neste domingo, para lembrar a morte no ano passado de um adolescente por polícias, que deu início aos piores conflitos de rua no país em décadas.

REUTERS

06 de dezembro de 2009 | 12h02

Jovens encapuzados deixaram a marcha com mais de 3.000 pessoas e quebraram janelas de lojas, colocaram fogo em latas de lixo e atiraram pedras contra os policiais, disseram testemunhas.

"Estamos usando gás lacrimogêneo em várias frentes onde os jovens estão atacando lojas e colocando fogo em latas de lixo", disse um policial, que pediu anonimato.

O novo governo socialista da Grécia colocou mais de 6.000 policiais nas ruas de Atenas para tentar impedir a repetição dos protestos do ano passado que atingiram a capital e outras cidades gregas, causando milhões de euros em prejuízo.

Os protestos deste domingo foram motivados também pelo descontentamento dos jovens com o alto índice de desemprego e as dificuldades econômicas. Os manifestantes disseram neste domingo que, apesar da mudança de governo em outro, pouco mudou nas vidas deles desde então.

"Faz um ano desde que a polícia matou um jovem e o governo que causou a morte foi desfeito, mas nada mudou em termos de brutalidade policial", disse Panos Garganas, de 63 anos, funcionário de uma universidade. "Queremos mais empregos, mais educação e não mais polícia."

(Reportagem de Renee Maltezou e Ingrid Melander)

Tudo o que sabemos sobre:
GRECIAPROTESTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.