Polícia entra em confronto com ativistas após eleição na Rússia

Oficiais prenderam dezenas de pessoas que protestavam contra o pleito que elegeu Dmitry Medvedev

Reuters e Associated Press,

03 de março de 2008 | 12h46

Um dia depois da eleição de Dmitry Medvedev para substituir na presidência Vladimir Putin, a tropa de choque da polícia russa entrou em confronto com manifestantes que tentavam se reunir em Moscou para uma manifestação não-autorizada contra o pleito, nesta segunda-feira, 3. O protesto foi organizado por um dos líderes da chamada oposição liberal, o ex-campeão mundial de xadrez Garry Kasparov.   Kasparov afirmou que 250 pessoas estão detidas em Moscou, contudo, um porta-voz da polícia recusou comentar. Os oficiais utilizaram de cacetetes para arrastar os ativistas para um ônibus policial.   Alguns dos manifestantes acenderam chamas espalhando fumaça em uma praça na região central de Moscou gritando: "Essa eleição é uma farsa. Nós precisamos de uma outra Rússia". "É meu dever vir aqui e expressar minha oposição a essas eleições pré-planejadas e falsificadas", disse uma manifestante com cerca de 50 anos enquanto a polícia prendia pessoas ao seu redor. "Agora eles estão nos levando um a um", afirmou. Mais de 300 policiais da tropa de choque avançaram contra grupos de manifestantes assim que eles saiam às ruas antes do protesto.  

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiaprotestoseleição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.