Polícia examina mala encontrada perto da casa de Rebekah Brooks

Marido da jornalista, presa pelo esquema de grampos telefônicos, tentou recuperar a bolsa

estadão.com.br

18 de julho de 2011 | 18h49

 

Jornalista presidia o braço britânico da News International.

 

LONDRES - A polícia britânica está em posse de uma um computador, um telefone e documentos encontrados perto da casa de Rebekah Brooks, ex-editora do braço britânico da News International, empresa ligada à News Corp e da qual fazem parte os tabloides The Sun e The Times, do magnata australiano Rupert Murdoch, envolvida no escândalo de grampos telefônicos do Reino Unido. As informações são do jornal The Guardian.

 

Veja também:

linkEncontrado morto jornalista que denunciou o esquema

linkNúmero 2 da Scotland Yard renuncia por grampos

linkRebekah Brooks é liberada após interrogatório

blog GABEIRA: Imprensa liberta Inglaterra da imprensa

lista Entenda o escândalo dos grampos telefônicos

 

Segundo o jornal, os itens estavam em uma mala encontrada em um estacionamento próximo da casa de Rebekah, que chefiava a empresa quando ocorreram alguns dos casos de grampos telefônicos sobre políticos, celebridades e vítimas de atentados da Grã-Bretanha e de outros países. O escândalo levou ao fechamento do tabloide News of the World e à demissão de integrantes do governo e da polícia britânica.

 

A polícia examina as imagens do circuito interno de câmeras do estacionamento para descobrir quem deixou a mala no local. A suspeita sobre o objeto tem origem no fato de que Charlie Brooks, marido de Rebekah, tentou recuperá-lo quando estava em posse dos seguranças da garagem.

 

O porta-voz de Charlie Brooks afirma que "ele tem uma mala com papéis e um computador que pertencem a ele". "Isso não tem nada a ver com Rebekah ou com o caso", disse. A polícia descartou a possibilidade de que o objeto tenha sido roubado da casa dos Brooks.

 

A explicação do porta-voz para que Charlie tentasse recuperar a bolsa é de que os itens estavam com um amigo de seu cliente, e que essa pessoa deixou no local errado da garagem. Assim, um funcionário da limpeza teria pensado que se tratava de lixo e o colocou em uma lixeira do estacionamento.

 

Rebekah foi presa no domingo por suspeita de cooperar com o esquema de grampos e por corromper oficiais da polícia. Na manhã desta segunda, ela foi libertada após pagar fiança e ser interrogada. Ela deve depor para o Comitê de Cultura, Mídia e Esportes nesta terça-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.