Polícia francesa salva magnata francês de trabalhadores

Comerciantes ameaçados de demissão cercaram na terça-feira o bilionário francês François-Henri Pinault dentro de um táxi, até que a tropa de choque da polícia fosse chamada para dispersar os manifestantes, disseram autoridades.

CRIS, REUTERS

31 de março de 2009 | 20h08

Pinault, executivo-chefe do grupo PPR, voltado para produtos de luxo, foi cercado no centro de Paris por funcionários de duas de suas lojas que anunciaram 1.200 demissões. Ele é um dos homens mais ricos da França.

"Eles retardaram brevemente o carro do sr. Pinault quando ele deixava uma reunião da empresa", disse um porta-voz do grupo.

Uma rádio disse que o incidente durou uma hora e só terminou com a presença de soldados com escudos.

Também na terça-feira, dezenas de funcionários de uma fábrica francesa da empresa norte-americana Caterpillar retiveram cinco gerentes em seus escritórios, no sudeste da França, para exigir mais negociações a respeito de um plano de demitir mais de 700 empregados.

Um dos gerentes, doente, foi solto no começo da noite, mas os empregados disseram à TV local que pretendem manter os outros quatro durante a noite.

Em março, diretores de fábricas da Sony e da 3M haviam sido retidos em incidentes semelhantes. Em ambos os casos, os sindicatos disseram ter obtido termos melhores nos programas de demissões.

Em geral, a polícia evitava intervir nesses casos. Reservadamente, dirigentes empresariais dizem que sentem medo de virar bodes expiatórios de uma crise que não provocaram.

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCAPINAULTRESGATE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.