Polícia grega atira gás lacrimogêneo contra manifestantes

A polícia grega atirou gás lacrimogêneo nesta terça-feira contra dezenas de manifestantes em Atenas que jogaram bombas caseiras e pedras, enquanto centenas marchavam ao Parlamento para lembrar a morte de um estudante pela polícia, em 2008.

REUTERS

06 de dezembro de 2011 | 11h44

Aquele assassinato desencadeou os piores tumultos no país em décadas.

O comparecimento foi menor na marcha desta terça-feira em comparação aos protestos semelhantes realizados nos anos anteriores, mas a manifestação se tornou violenta depois que jovens mascarados começaram a atirar bombas caseiras e pedaços quebrados de paralelepípedo contra a polícia.

Duas pessoas ficaram levemente feridas, segundo a polícia.

Confrontos menores irromperam entre manifestantes e policiais em outras áreas da capital grega e na cidade de Thessaloniki, no norte do país.

Manifestantes gritavam palavras de ordem contra as medidas de austeridade do governo e seguravam cartazes com frases como "Revolução Social Agora" ao marchar para o Parlamento.

Desde que a crise de dívida começou na Grécia em 2009, os gregos, que foram afetados pelas medidas de austeridade, têm realizado protestos. Muitas vezes, essas manifestaçõs têm se tornado violentas, com a polícia e jovens manifestantes entrando em confronto em frente ao Parlamento.

Em 2008, milhares de pessoas enfrentaram a polícia depois que Alexandros Grigoropoulos, de 15 anos, foi morto a tiros. Eles danificaram lojas, atacaram prédios públicos e incendiaram carros, tornando o centro de Atenas numa aparente zona de guerra durante semanas.

(Reportagem de Renee Maltezou)

Tudo o que sabemos sobre:
GRECIAPROTESTOPOLICIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.