Polícia italiana confisca 50 milhões de euros em bens da máfia

Ofensiva atinge um dos clãs mais poderosos e violentos da Gomorra napolitana e envolve 35 pessoas

Efe

15 de julho de 2009 | 01h24

A polícia italiana confiscou bens equivalentes a 50 milhões de euros pertencentes a membros do clã dos Casalesi, um dos mais poderosos e violentos da máfia napolitana Camorra. As informações foram divulgadas na noite da terça-feira, 14 (horário de Brasília), por fontes oficiais do governo da Itália.

 

Os bens foram apreendidos em uma das operações policiais mais importantes dos últimos anos contra os Casalesi e estavam nos nomes de cinco mafiosos e de 30 "laranjas".

 

Segundo a polícia italiana, as posses eram utilizadas para lavar dinheiro procedente de atividades ilícitas e para financiar a organização.

 

Os cinco mafiosos envolvidos nesses crimes já estavam detidos por outros delitos. São eles Giosuè Fioretto, Antonio della Ventura, Nicola Verolla, Giuseppe Setola e Pasquale Setola. Giuseppe e Pasquale são irmãos e dois destacados membros do clã dos Casalesi, cujas atividades são descritas no livro "Gomorra", do jornalista italiano Roberto Saviano.

 

Segundo os investigadores, Pasquale Setola era proprietário de várias companhias que chegaram a vencer concessões públicas e cedeu a titularidade de suas empresas a terceiros depois de seu irmão Giuseppe ter ficado conhecido por supostamente ter dado a ordem para assassinar um italiano e seis imigrantes africanos em setembro de 2008.

 

Considerado o responsável pelo braço armado dos Casalesi, Giuseppe Setola foi detido em 14 de janeiro na comuna italiana de Mignano Monte Lungo (sul) após protagonizar uma rocambolesca tentativa de fuga pela rede de esgoto.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliamáfiaGomorra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.