Polícia portuguesa envia caso Madeleine para promotor

A polícia portuguesa disse nestasegunda-feira que encaminhará a um promotor público evidênciascontra os pais da menina britânica Madeleine McCann, 4,desaparecida há mais de quatro meses. O promotor decidirá se ospais serão ou não acusados de algum crime. Gerry e Kate McCann voltaram à Grã-Bretanha no domingo, masestão dispostos a regressar a Portugal para novosinterrogatórios, segundo uma parente. Na semana passada, apolícia identificou os dois como suspeitos. A família da menina rejeitou na segunda-feira as acusaçõese pediu à polícia portuguesa que continue procurando Madeleine. Philomena McCann, tia da menina, disse que a família estáconvencida de que Madeleine ainda está viva. "Os portugueses viraram esta investigação de cabeça parabaixo e não estão mais procurando uma menina viva; eles estãopressupondo, com base em evidências espúrias, que Madeleineagora está morta", declarou a tia à BBC. "Não concordamos com isso de forma alguma. Queremos que ainvestigação mude para buscar Madeleine viva, como achamos queela está." O casal consultou advogados na Grã-Bretanha depois que nasexta-feira a polícia declarou que eles são formalmenteconsiderados suspeitos. Gerry e Kate foram ouvidos durantevárias horas na semana passada, mas não foram indiciados. A polícia mudou a linha de investigação depois de receberresultados parciais de perícias em vários locais, como oapartamento de veraneio no Algarve de onde a menina sumiu em 3de maio. Kate McCann disse ao jornal Sunday Mirror que foipressionada a confessar a morte acidental da filha. "Querem queeu minta, estão armando contra mim. Estão basicamente dizendo(que) se confessar que Madeleine sofreu um acidente e que euentrei em pânico, receberia pena de dois ou três anos. Isso éridículo, o pior pesadelo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.