Polícia prende 14 pessoas com materiais explosivos na Espanha

Radicais islâmicos podem ter planejado umataque em Barcelona, afirmou o ministro do interior espanholAlfredo Pérez Rubalcaba, depois que a polícia prendeu 14pessoas portando materiais explosivos, no início deste sábado. Rubalcaba afirmou em conferência que guardas civisencontraram materiais para fabricação de bombas durante buscasem cinco endereços e prenderam doze paquistaneses e doisindianos depois de receber informações de agências deinteligência européias. O ministro pontuou que as buscas de sábado foram diferentesdas operações contra militantes islâmicos nos últimos anos, quevisavam combater grupos que financiavam radicais ou recrutavamnovos membros para sua causa. "Estamos procurando por algo diferente: um grupo bemorganizado que vai além do radicalismo ideológico para adquirirmateriais com o intuito de criar explosivos e eventualmenterealizar ataques violentos", afirmou. Segundo Rubalcaba, entre os materiais apreendidosencontravam-se dois timers (contadores regressivos de tempo) etambém computadores, na operação que teve início à meia-noitemeia na Espanha (21h30 no horário de Brasília). O ministro considera os militantes islâmicos, e não o gruposeparatista basco ETA, como a maior ameaça à segurança daEspanha. Em março de 2004 um ataque à bomba realizado por islâmicosem Madri matou 191 pessoas e feriu cerca de 1.800 nos trens dacidade. Em setembro do mesmo ano, onze paquistaneses foram presosem Barcelona acusados de planejar ataque ao porto da cidade.Todos foram inocentados, embora acabassem presos em 2007 depoisde levantar dinheiro para militantes muçulmanos, enquantooutros dois foram pegos forjando documentos. (Reportagem de Ben Harding e Blanca Rodriguez)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.