Polícia prende cinco no 2o dia da visita do papa à Grã-Bretanha

A segurança do papa Bento 16 estava no centro das atenções nesta sexta-feira depois que cinco suspeitos de planejarem um ataque na Grã-Bretanha foram presos pela polícia de Londres.

REUTERS

17 de setembro de 2010 | 10h50

Não ficou claro se o planejado ataque estava relacionado à visita do papa ou quando seria realizado, mas a polícia se mobilizou para reavaliar a segurança do pontífice, que está em seu segundo dia de visita à Grã-Bretanha.

O Vaticano disse que a viagem seguiria inalterada. A polícia informou que havia revisado os planos da visita e concluiu que "continua apropriada".

As detenções foram realizadas pela polícia antiterrorista, que investigava uma empresa no centro de Londres e casas no norte e leste da cidade. Não foram descobertos materiais perigosos durante a busca.

Os cinco suspeitos, entre 26 e 50 anos, foram detidos aproximadamente às 5h45 (horário local), segundo comunicado da polícia.

O papa tem sido rigorosamente protegido durante sua visita de quatro dias à Grã-Bretanha, viajando em um carro à prova de balas especialmente desenvolvido para ele, e rodeado de oficiais de segurança.

O Vaticano foi informado que as detenções ocorreram quando o papa estava chegando a uma universidade católica no sudoeste de Londres.

Na universidade, o papa lembrou a Igreja que sua prioridade é oferecer um ambiente seguro para crianças. A Igreja foi fortemente abalada por provas de abuso sexual de crianças cometido por padres.

Algumas centenas de pessoas se reuniam e gritavam "Papa deve renunciar!" e "Vergonha!" enquanto o comboio papal entrava num complexo educacional católico. Placas diziam "Hipocrisia e mentiras" e "Pedofilia católica encoberta".

(Reportagem de Matt Falloon)

Tudo o que sabemos sobre:
GRABRETANHAPRESOSPAPA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.