Polícia prende homem que fez cinco reféns na Holanda

Em protesto contra licença de funcionamento, dono de restaurante ameaça pessoas em Prefeitura

Efe e Reuters,

16 de junho de 2008 | 10h07

A polícia holandesa afirmou nesta segunda-feira, 16, que um homem manteve cinco reféns, entre eles um vereador, na Prefeitura da cidade holandesa de Almelo, a 150 quilômetros de Amsterdã. Ele foi detido horas depois, e nenhum dos seqüestrados foi ferido no incidente.   O inspetor Ben Hendriks explicou, em entrevista coletiva, que dezenas de pessoas conseguiram abandonar o edifício, mas que restaram cinco reféns em seu interior. Como haviam antecipado meios de comunicação locais, o seqüestrador, que estava armado, é um homem de 41 anos, proprietário de um restaurante próximo à Prefeitura.   Segundo a imprensa local, o dono do estabelecimento mantém há muito tempo um conflito com o governo local, que deseja fechar o restaurante por não ter licença de funcionamento. O vereador que se encontra detido, Bert Kuiper, pertence ao departamento responsável pela emissão deste tipo de permissão.   Pouco antes do seqüestro houve um incêndio em um restaurante próximo à Prefeitura, mas não se sabe se há alguma relação entre os incidentes.    Segundo a emissora holandesa NOS o causador do incêndio teria sido o proprietário do restaurante chamado "De Rechter", que ateou fogo em seu estabelecimento e em seguida teria queimado um carro em frente à Prefeitura.   Matéria atualizada às 12h30.

Mais conteúdo sobre:
Holandaseqüestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.