Polícia prende nove por relação a atentado em Istambul

Agência afirma que suspeitos teriam entregue explosivos para ataque que matou 17 e feriu mais de 150

Efe,

30 de julho de 2008 | 11h37

A polícia de Istambul deteve nesta quarta-feira, 30, nove pessoas relacionadas ao atentado cometido no domingo, que deixou 17 mortos, incluindo uma mulher grávida de oito meses e meio, e mais de 150 feridos. Segundo a agência de notícias Anatolia, os presos são suspeitos de ter entregue o explosivo e de manter contatos com os terroristas. Os nove presos foram interrogados pela Direção de Luta Antiterrorista e colocados à disposição judicial. Até agora, a investigação só revelou que o explosivo utilizado foi TNT, utilizado junto com pregos e outros metais para reforçar o poder de destruição.  Alguns veículos de comunicação e grupos políticos acusaram o grupo armado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de estar por trás dos atentados em Istambul. Outros apontaram a rede Ergenekon, formada por altos comandantes militares na reserva e políticos ultranacionalistas, acusada de tentar derrubar o governo, como responsável pelo ataque.

Tudo o que sabemos sobre:
Turquiaatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.