Polícia usa gás para dissolver protesto contra lixo em Nápoles

Tropas de choque usaram gáslacrimogêneo para dispersar na terça-feira manifestantes queprotestavam contra a descarga de caminhões de lixo num subúrbiode Nápoles, sul da Itália. O primeiro-ministro Romano Prodi interveio no assuntodepois que 110 mil toneladas de lixo se acumularam nas ruasnapolitanas. A coleta foi suspensa na época do Natal, quandoquase todos os aterros sanitários da cidade foram declaradossaturados. O governo quer transferir parte desse mal-cheiroso materialpara o subúrbio de Pianura, mas os moradores usaram cercas demetal, blocos de concreto e árvores para bloquear a estrada. Oslixões de Pianura foram fechados há 11 anos. Durante uma noite de confrontos esporádicos com a polícia,os agentes usaram gás lacrimogêneo para dispersar osmanifestantes, que incendiaram um ônibus. Na manhã deterça-feira, helicópteros faziam vôos rasantes, ajudando aespalhar o cheiro de comida podre e a fumaça da queima do lixo. Prodi deve anunciar medidas de emergência após uma reuniãocom ministros na terça-feira. O Exército deve ser chamado aajudar mais na operação de limpeza. A Camorra --máfia napolitana-- tem grande envolvimento como transporte e armazenamento do lixo na cidade. Há 14 anos acidade reconhece ter um problema nesse setor, agravado pelaincompetência e corrupção das autoridades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.