População de Kosovo vai às urnas em eleições gerais

População escolhe prefeitos e membros da Assembléia provincial mesmo sem definir independência da Sérvia

BBC Brasil,

17 de novembro de 2007 | 12h49

A população de Kosovo está votando neste sábado em eleições gerais, em meio à incerteza sobre o status da província. A eleição vai escolher prefeitos e também preencher cem das 120 vagas na Assembléia provincial. Os outros assentos são reservados para os sérvios e outras minorias étnicas.   Kosovo é oficialmente parte da Sérvia, mas vem sendo administrada pela ONU (Organização das Nações Unidas) desde 1999. Membros da maioria albanesa querem a independência, uma posição apoiada pelos Estados Unidos e outros países. Mas a Sérvia é contra e tem o apoio da Rússia.   Segundo o correspondente da BBC em Prístina, Nick Hawton, o governo em Belgrado fez apelos para que os sérvios de Kosovo boicotem as eleições, para não dar legitimidade a um governo que pode romper com a Sérvia em breve.   O Conselho de Segurança da ONU estabeleceu um prazo até 10 de dezembro para concluir as negociações sobre o futuro de Kosovo.   Os albaneses, mais de 80% dos habitantes da província, vêm expressando frustração com a demora no processo, e ameaçam declarar independência unilateralmente.   A crise em Kosovo impressionou o mundo na segunda metade dos anos 90, quando o então presidente sérvio, Slobodan Milosevic, lançou uma brutal repressão ao Exército para a Libertação de Kosovo (ELK), braço armado da causa separatista.   Em 1999, tropas da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) obrigaram os sérvios a deixar a província, e a crise passou a ser gerenciada por um grupo formado por Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Alemanha, Itália e Rússia.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesKosovo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.