Portugueses protestam contra austeridade fiscal e exigem emprego

Milhares de pessoas protestaram em Lisboa neste sábado para exigir emprego, salários melhores e o fim das medidas de austeridade implementadas pelo governo socialista, que busca cortar gastos estatais e evitar um resgate financeiro.

REUTERS

19 de março de 2011 | 16h04

Empunhando bandeiras e cartazes, os manifestantes lotaram a principal avenida de Lisboa, mas o protesto foi menor que a passeata do último sábado, quando cerca de 200 mil pessoas foram às ruas.

"Essas políticas levarão o país ao caos", disse João Antônio Marques, aposentado de 67 anos que participava dos protestos. "As políticas desse governo são da chanceler (alemã, Angela) Merkel, essa Europa é para os ricos."

Organizado pela união sindical CGTP, o protesto acontece enquanto o governo de Portugal enfrenta um desafio crescente para convencer os investidores e Bruxelas de que pode conter seu déficit orçamentário e evitar o destino de Grécia e Irlanda, que tiveram de buscar ajuda externa

Armênio Carlos, líder da CGTP, estima que dezenas de milhares de pessoas participaram do protesto. A polícia não deu sua estimativa sobre o número de manifestantes.

(Reportagem de Axel Bugge)

Tudo o que sabemos sobre:
PORTUGALPROTESTOCORTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.