EFE/EPA/AIDAN CRAWLEY
EFE/EPA/AIDAN CRAWLEY

Pouso de emergência deixa 33 feridos na Alemanha

Despressurização na cabine teria sido o motivo da queda repentina de mais de 9 mil metros de altitude da aeronave, forçando aterrissagem imediata e perigosa

O Estado de S.Paulo

14 Julho 2018 | 17h40

Trinta e três pessoas precisaram ser atendidas em hospitais alemães após um avião da companhia aérea Ryanair cair 9 mil metros e realizar uma aterrissagem de emergência no aeroporto de Frankfurt-Hahn, informou a Polícia Federal alemã neste sábado, 14.

A aeronave, do voo FR7312, fazia na tarde desta sexta-feira, 13, a rota entre capital irlandesa Dublin e a cidade croata de Zadar, com 189 passageiros a bordo, quando sofreu uma "repentina queda de pressão" na cabine, forçando a manobra de emergência, segundo um porta-voz da empresa aérea. 

"Os passageiros se queixaram de dores de cabeça e ouvido e sofriam náuseas", comentou um porta-voz da Polícia Federal, que reconheceu que alguns apresentavam sangramento nos ouvidos. Uma parte dos passageiros já recebeu alta, de acordo com veículos de imprensa alemães, enquanto outros permanecem internados.

+++ Queda de avião particular no Irã deixa 11 vítimas

Passageiros do voo reclamaram nas redes sociais e alguns disseram que não houve auxílio da companhia após o ocorrido. "Vivemos um momento de pânico. Depois de 12 horas do pouso forçado, estamos abandonados no aeroporto, sem ônibus, alternativas e sem lugar para acomodação e repouso", disse a passageira Minerva Galvan no Twitter.

O site "Flightradar24", que acompanha em tempo real a posição de até 20 mil voos diários no mundo todo, registrou uma queda do avião de 12 mil metros de altura até 3 mil. A companhia aérea ainda não comunicou a causa da perda de pressão na cabine.

+++ Investigação atribui queda de avião na Rússia a congelamento de sensores

Outro avião concluiu a partir do aeroporto de Frankfurt-Hahn a rota interrompida até Zadar, embora muitos passageiros, feridos e impossibilitados de seguir viagem, não estivessem presentes. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.