Emilio Morenatti/AP Photo
Emilio Morenatti/AP Photo

Prefeita de Barcelona pede fim da violência em manifestações separatistas

Ada Colau afirmou que confrontos da sexta-feira foram os piores desde o início da manifestações na última segunda após condenação de líderes separatistas da Catalunha

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2019 | 10h51

A prefeita de Barcelona, Ada Colau, pediu calma depois que protestos violentos de separatistas catalães abalaram novamente a segunda maior cidade da Espanha. "Isso não pode continuar. Barcelona não merece isso", afirmou a prefeita neste sábado, 19. Ela acrescentou que a violência de sexta-feira foi pior do que a das quatro noites anteriores.

 

As manifestações começaram após uma decisão da Suprema Corte da última segunda-feira, 14, que condenou nove líderes separatistas à prisão. Desde então, separatistas radicais entraram em choque com a polícia todas as noites em Barcelona e outras cidades catalãs após grandes protestos pacíficos.

As autoridades do país dizem que mais de 400 pessoas ficaram feridas, cerca de metade delas policiais, e que a polícia fez mais de 150 prisões. A polícia usou gás lacrimogêneo e canhões de água na noite de sexta-feira para combater manifestantes em Barcelona. /

Em outubro de 2017, Ada Colau afirmou que é contra a separação entre Catalunha e Espanha. As declarações foram dadas na Câmara Municipal de Barcelona, um dia antes do plebiscito que decidiu pela separação.

À época, ela também pediu que o então primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, renunciasse ao seu cargo após os confrontos entre eleitores e policiais durante a votação do plebiscito. “Rajoy é um covarde, que se esconde atrás de procuradores e tribunais. Hoje, ele ultrapassou todos os limites com as ações policiais contra pessoas normais, idosos, famílias que estavam defendendo seus direitos fundamentais”, afirmou.  / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.