Premiê britânico adverte Europa sobre união política 'forçada'

O Premiê britânico, David Cameron, advertiu os líderes europeus na quinta-feira que qualquer tentativa de forçar países a uma união política cada vez mais profunda representa um erro que a Grã-Bretanha não vai fazer parte.

Reuters

24 de janeiro de 2013 | 08h56

"Países na Europa têm suas próprias histórias, suas tradições, suas instituições, querem sua soberania, sua capacidade para fazer as próprias escolhas, e tentar forçar os países a uma união política centralizada seria um grande erro para a Europa, e a Grã-Bretanha não faria parte disto", disse Cameron a executivos de empresas e investidores durante um discurso no Fórum Econômico Mundial, em Davos.

O discurso de Cameron em Davos foi feito um dia depois de ele ter prometido aos britânicos um referendo sobre a saída do país da União Europeia, que seria realizado no final de 2017.

"A Grã-Bretanha é um grande 'player' europeu em todas as questões que a Europa precisa atuar -ser mais competitivo, combater o terrorismo, combater a mudança climática- estamos lá liderando os debates, fazendo as argumentações", disse.

"E este é o tipo de ação política que precisamos. Mas uma união política centralizada? Não para mim, não para a Grã-Bretanha."

(Texto de Guy Faulconbridge e Tim Castle)

Tudo o que sabemos sobre:
GRABRETANHADAVIDCAMERONUEDAVOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.