Premiê britânico anuncia reforma ministerial

Por conta da crise financeira, desafeto de Brown volta ao governo para o cargo de secretário de negócios

Agências internacionais,

03 de outubro de 2008 | 13h09

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, promoveu uma reforma ministerial nesta sexta-feira, 3. Entre as alterações a principal envolve Peter Mandelson, que deixa o posto de comissário da União Européia para o Comércio para assumir como secretário de negócios britânico. Mandelson, que ocupou cargos de alto escalão durante o governo de Tony Blair, é um desafeto de Gordon Brown desde 1994, quando ele decidiu apoiar Blair para liderar o Partido Trabalhista.  "Eu gostei muito de meu tempo na Europa e de trabalhar com comércio e temas de desenvolvimento. Mas o primeiro-ministro me pediu para voltar", afirmou Mandelson nesta sexta-feira a jornalistas. A volta de Mandelson, que ocupou cargos na era Tony Blair e é visto como ligado ao ex-primeiro-ministro, é uma de várias mudanças anunciadas por Brown. Trata-se da maior reforma ministerial feita pelo primeiro-ministro desde assumir, em junho de 2007. Brown justificou o reajuste realizado em seu Gabinete pelos "novos desafios" econômicos, devido à crise financeira internacional e aos altos preços do petróleo e dos alimentos. "Estes não são tempos comuns", disse o líder trabalhista, em entrevista coletiva no número 10 de Downing Street, na qual disse que "são necessárias pessoas sérias para momentos sérios".Brown destacou "a experiência incomparável" de Mandelson. Além disso, anunciou a criação de um Conselho Econômico Nacional que se reunirá pela primeira vez na próxima segunda-feira. O antecessor de Mandelson no cargo, John Hutton, assumiu o posto de secretário da Defesa. Em Bruxelas, a Comissão Européia confirmou a saída de Mandelson e informou que ele será substituído pela baronesa Catherine Ashton, a líder da Câmara dos Lordes do Reino Unido. A saída do polêmico comissário da UE para o Comércio deixa o bloco continental sem seu maior defensor do livre comércio e opositor do protecionismo. A maior reforma ministerial feita por Brown desde sua posse, em junho do ano passado, ocorre em meio a uma crise financeira e em um momento no qual o Partido Trabalhista aparece atrás dos conservadores nas pesquisas de opinião. Entre outras mudanças, Ed Miliband assume o recém-criado posto de ministro da Energia e das Mudanças Climáticas. A ex-chanceler Margaret Beckett retorna ao governo como ministra da Habitação e chefe do Departamento de Governos Locais e Comunitários. John Denham será secretário da Inovação e do Ensino Superior, enquanto Ruth Kelly deixa o Ministério dos Transportes para Geoff Hoon.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.