Premiê britânico se defende diante da crise sobre grampos

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, defendeu nesta quarta-feira a forma com que seu gabinete tratou com a polícia diante das alegações de grampos telefônicos e subornos nos jornais britânicos de Rupert Murdoch.

REUTERS

20 de julho de 2011 | 08h24

"O Número 10 agora publicou a troca integral de emails entre o chefe de gabinete e John Yates, e o documento mostra que meu gabinete se comportou de forma correta", disse Cameron ao Parlamento, acrescentando que não infringiu as leis parlamentares sobre o comportamento de ministros.

Cameron se pronunciou no início de uma sessão de emergência do Parlamento para discutir a crise de grampos telefônicos que abalou o império midiático de Murdoch, a News Corp, minou a confiança na polícia e gerou perguntas sobre a capacidade de julgamento do primeiro-ministro.

Tudo o que sabemos sobre:
GRABRETANHACAMERON*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.