Premiê grego convoca governo de coalizão

O primeiro-ministro grego, George Papandreou, convocou nesta sexta-feira um governo de coalizão para que aprove um vital acordo de resgate que tire o país da crise e destacou que está pronto para deixar o cargo.

REUTERS

04 de novembro de 2011 | 20h58

Papandreou afirmou ao Parlamento que esteve em contato com o presidente e que se reunirá com ele no sábado para discutir a formação de uma coalizão de governo mais ampla que garanta o resgate de 130 bilhões de euros.

O líder destacou que está disposto a discutir a composição do novo governo "e inclusive o líder da coalizão".

"Há apenas uma solução. Apoiar o acordo com um foco multipartidário, sem eleições, com um governo forte", afirmou o líder grego ao Parlamento, antes de uma votação de confiança sobre seu governo socialista.

"A última coisa que me importa é o meu cargo. Nem sequer me importa se eu não for reeleito. Chegou o momento de fazer um novo esforço", acrescentou.

O ministro de Finanças grego, Evangelos Venizelos, quem aparece como candidato a liderar o governo, afirmou que "a coalizão de governo a ser formada deve recuperar a credibilidade internacional do país e garantir o rápido desembolso de 30 bilhões de euros para a recapitalização dos bancos gregos."

Venizelos disse a parlamentares que o novo governo deverá aprovar o orçamento e o plano de ajuste fiscal revisado, assim como também completar as conversações sobre a participação do setor privado na redução da dívida grega.

Segundo ele, espera-se que o novo governo funcione até o fim de fevereiro do ano que vem.

Por outro lado, o líder conservador Antonis Samaras rejeitou o chamado de Papandreou para um governo de coalizão, exigindo eleições imediatas.

"O senhor Papandreou rejeitou nossa proposta. A única solução é eleição", afirmou ele, de acordo com um porta-voz de seu partido Nova Democracia.

(Por George Georgiopoulos e Redação de Atenas)

Tudo o que sabemos sobre:
GRECIAGOVERNOCOALIZAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.