Premiê italiano ataca resistência e promete continuar esforços

Em meio a rumores de que poderia enfrentar pressão para abandonar o governo, o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, rebateu neste domingo críticas de líderes empresariais e desafiou seus oponentes a desafiarem-no no parlamento.

REUTERS

28 de setembro de 2014 | 11h12

"Se eles acham que têm os números e o candidato certo, deixe que tentem", disse o ministro de centro-esquerda de 39 anos de idade ao jornal diário de esquerda La Repubblica.

Renzi assumiu o governo em fevereiro como o premiê mais jovem da história após forçar a saída de seu predecessor Enrico Letta. Considerava-se amplamente que Letta havia perdido a confiança do classe empresarial e importantes formadores de opinião devido à falta de progresso de seu governo.

Apenas sete meses depois, ele também enfrenta críticas sobre o ritmo lento de reformas, alimentando especulações em círculos políticos de que ele poderia ser forçado a renunciar em favor de um governo tecnocrata liderado pelo presidente do banco central, Ignazio Visco.

(Reportagem de James Mackenzie)

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIAPREMIE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.