Premiê português avalia reforma ministerial, segundo jornais

O premiê português, José Sócrates, pode realizar uma reforma ministerial em breve, publicou a mídia local neste sábado, mas não estava claro se o Ministério das Finanças seria envolvido nas trocas em à crise da dívida no país e no bloco europeu.

ANDREI KHALI, REUTERS

20 de novembro de 2010 | 15h04

Os ministros dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, da Saúde, Ana Jorge, e das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, António Mendonça, devem ser substituídos entre a aprovação do Orçamento de 2011, em 26 de novembro, e as eleições presidenciais de janeiro, segundo vários jornais.

Quanto ao ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, que preparou o pacote de austeridade fiscal para reduzir o déficit do país, a maior parte da mídia sugeria que seria difícil trocá-lo em meio à crise.

Portugal tem sofrido uma perda de confiança dos investidores nas últimas semanas, simultaneamente às discussões na Irlanda sobre um pacote de ajuda ao setor bancário.

"Teixeira dos Santos está sob fogo, mas dentro do Executivo duvida-se que Sócrates prescinda do seu ministro das Finanças. Não só por ser responsável pelo Orçamento, mas também pela sua relação pessoal", afirmou o diário Público.

Entretanto, o Diário de Notícias afirmou que há pressão dentro do partido Socialista, que comanda o governo, para que Sócrates substitua Teixeira dos Santos. Segundo o jornal, o ministro da Economia, José Vieira da Silva, poderia assumir.

Uma porta-voz do governo não comentou as reportagens.

Tudo o que sabemos sobre:
PORTUGALREFORMAMINISTERIAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.