Premiê português diz que UE está sob risco devido a crise

A falha ao achar uma solução para a crise na zona do euro pode levar ao fim da União Europeia, afirmou o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, em uma entrevista publicada neste domingo.

REUTERS

04 de dezembro de 2011 | 12h19

"Temos que encontrar uma resposta" à crise, afirmou o premiê em uma entrevista ao diário Público, acrescentando que espera uma solução no encontro de cúpula da União Europeia, nesta semana.

"Se não (acharmos uma resposta), claramente isso pode representar o fim da União Europeia."

Ele afirmou que a crise se tornou sistêmica e, como resultado, uma "resposta muito mais forte é necessária. Apesar das várias tentativas, ainda não encontramos uma".

Passos Coelho afirmou que qualquer solução à crise tem que abranger a necessidade de união econômica e política dentro do bloco, para "complementar" a união monetária.

Portugal se tornou o terceiro país da zona do euro a procurar ajuda externa, de 78 bilhões de euros (105 bilhões de dólares). O mesmo já tinha sido feito por Grécia e Irlanda.

Passos Coelho repetiu sua determinação de atingir uma rígida meta orçamentária após a ajuda, dizendo que é a maior prioridade de seu governo.

Ele afirmou que, se a situação econômica piorar e forem necessárias mais medidas de austeridade, "não haverá outra possibilidade a não ser se ajustar a elas".

(Reportagem de Axel Bugge)

Tudo o que sabemos sobre:
PORTUGALCRISE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.