Presidente da Turquia diz que país ajudaria no crescimento da UE

O presidente turco, Abdullah Gul, afirmou que a Turquia está determinada a superar a oposição à entrada do país na União Europeia (UE), antes de iniciar neste domingo uma visita ao Reino Unido.

MICHAEL HOLDEN, REUTERS

20 de novembro de 2011 | 17h07

A visita de Gul a Londres, onde ele será recebido pela rainha Elizabeth, simboliza o esforço britânico por maior proximidade com mercados emergentes como a Turquia.

O Reino Unido espera acelerar a sua recuperação econômica, intensificando o comércio e o investimento com países em crescimento, num momento em que parceiros da zona do euro estão enfrentam uma crise.

O Reino Unido apóia a entrada da Turquia na UE. A crise síria também é um tema em comum entre os dois países, com a Turquia ameaçando realizar sanções contra o governo do presidente sírio, Bashar al-Assad, por conta da repressão a manifestações políticas.

A chegada de Gul ao Reino Unido está prevista para este domingo. É a primeira visita de um chefe de Estado turco ao país em 23 anos. Numa entrevista, Gul afirmou que a Turquia está determinada a se juntar à UE, apesar da crise do euro, e que poderia se tornar "motor de crescimento" econômico do bloco.

"Algumas pessoas que pensam de uma forma estreita e que não têm uma perspectiva estratégica consideram a entrada da Turquia um fardo," disse Gul a um jornal britânico.

"Mas aqueles que pensam 30, 60 anos lá na frente, que pensam nas novas tendências da economia e na mudança dos centros do poder, podem entender a força que a Turquia pode trazer à força que já existe na Europa."

Tudo o que sabemos sobre:
TURQUIAENTRADANAUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.