Presidente da Ucrânia ameaça dissolver o Parlamento

Yushchenko acusa premiê e opositores de tentarem golpe constitucional ao apoiar lei que o enfraquece

Efe e Associated Press,

03 de setembro de 2008 | 10h28

O presidente da Ucrânia, Viktor Yushchenko, ameaçou nesta quarta-feira, 3, dissolver a Rada Suprema (Parlamento ucraniano), se não houver a formação de uma nova coalizão de maioria nos 30 dias estabelecidos pela Constituição do país. Yushchenko acusou sua rival política, a primeira-ministra Yulia Tymoschenko, e os partidos oposicionistas de tentarem um "golpe constitucional".   Veja também: Vice americano inicia giro por ex-repúblicas soviéticas   O pronunciamento de Yushchenko foi transmitido em rede nacional de televisão. O fato ocorre pouco depois de seus aliados no Parlamento serem expulsos da coalizão governista. O governo da Ucrânia, pró-Ocidente, tem sido marcado pelas duras disputas entre os rivais e mesmo entre aliados. A mais recente crise ocorre enquanto o país sofre com a crescente incerteza sobre seus laços com Moscou, após Kiev condenar a guerra da Rússia com a Geórgia, no mês passado.   Os parlamentares aliados de Yulia se aliaram na terça-feira com a oposição, para apoiar uma lei que tira poderes do presidente e fortalece a primeira-ministra. "Ontem (terça-feira), um golpe político e constitucional começou no Parlamento", disse Yushchenko em seu discurso. "Eu considero os eventos no Parlamento ucraniano um início formal da formação de uma nova coalizão parlamentar."   O presidente ordenou aos parlamentares que formem uma nova coalizão. Além disso, ameaçou convocar eleições caso nenhuma seja formada a tempo. O gabinete seguirá trabalhando aproximadamente nos próximos 60 dias, até que uma nova coalizão seja formada.   Yulia e Yushchenko são possíveis rivais nas eleições presidenciais, em 2010. Os dois vivem em um cabo-de-guerra desde que ela assumiu o cargo de primeira-ministra, no ano passado. Yushchenko foi eleito presidente da Ucrânia em 26 de dezembro de 2004, após a chamada Revolução Laranja - uma série de protestos contra o que a população considerou uma fraude no segundo turno eleitoral em favor do candidato pró-Rússia, Viktor Yanukovich. Durante a campanha, Yushchenko foi envenenado por uma substância chamada dioxina, que o deixou com o rosto inchado e deformado.

Tudo o que sabemos sobre:
Ucrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.