Presidente da Ucrânia sanciona lei para coibir protestos populares

O presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, sancionou nesta sexta-feira um conjunto de leis que na prática vai proibir todas as formas de manifestação antigovernamental, apesar da indignação de governos ocidentais, que qualificaram as medidas de antidemocráticas.

Reuters

17 de janeiro de 2014 | 19h30

A página do governo na Internet relacionou as leis, encaminhadas às pressas ao Parlamento por partidários de Yanukovich na quinta-feira, e informou: "O presidente sancionou o conjunto de leis."

Yanukovich acabou provocando grandes manifestações pró-União Europeia no país, uma ex-república soviética, quando desistiu de assinar um histórico acordo de livre comércio com o bloco europeu no fim de novembro e, em vez disso, optou por reforçar os laços econômicos com a Rússia, a ex-controladora da Ucrânia nos tempos soviéticos.

Esses protestos rapidamente se transformaram em manifestações contra o governo, atraindo centenas de milhares de pessoas às ruas da capital, Kiev.

Algumas centenas de pessoas ainda estão acampadas na principal praça de Kiev, a Independência, e na via mais importante da cidade. Outras centenas estão acampados a 300 metros da prefeitura.

As novas leis proíbem qualquer instalação não aprovada de barracas, palcos ou amplificadores, ou seja, tudo o que vem ocorrendo nos protestos dia e noite na Praça Independência. A legislação prevê pena de prisão de até 15 anos por "violação em massa" da ordem pública.

(Reportagem de Richard Balmforth)

Tudo o que sabemos sobre:
UCRANIALEIANTIPROTESTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.