Arquivo/Associated Press
Arquivo/Associated Press

Preso britânico que confessou ter matado companheiro

Jornalista Ray Gosling disse ter asfixiado companheiro que tinha aids para que não sofresse mais

Agência Estado e Associated Press,

18 de fevereiro de 2010 | 10h28

A polícia britânica prendeu nesta quinta-feira, 18, o jornalista de televisão Ray Gosling sob suspeita de homicídio, após ele ter afirmado em um programa nesta semana da rede BBC que matou seu companheiro, que tinha aids, para que ele não sofresse mais. O jornalista não revelou onde nem quando ocorreu o caso e contou que acreditava ter agido corretamente e não ter arrependimentos.

A polícia de Nottinghamshire informou que prendeu um morador de Nottingham de 70 anos, sob suspeita de homicídio, sem mencionar o nome do jornalista. De qualquer forma, a corporação informou que a prisão ocorreu após as declarações dadas durante o documentário "Midlands Oriental Inside Out", da BBC, na noite de segunda-feira.

No vídeo, Gosling afirmou ter usado um travesseiro para asfixiar seu parceiro que agonizava com aids, hospitalizado. O fato repercutiu na terça-feira em toda a imprensa britânica, reavivando o debate sobre eutanásia. "Uma vez matei alguém. Era meu amante e ele tinha aids. Peguei o travesseiro e o asfixiei, até que ele morreu. Não me arrependo. Fiz o correto", afirmou o jornalista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.