Reprodução/Nerkes Allehanda
Reprodução/Nerkes Allehanda

Presos suspeitos de tentar matar sueco que desenhou Maomé

Cartunista Lars Vilks desenhou profeta, símbolo máximo do islã, com corpo de cachorro em 2007

Associated Press,

09 de março de 2010 | 14h09

Sete pessoas foram detidas pela Polícia da Irlanda nesta terça-feira, 9, por suspeita de participação em um plano para assassinar um cartunista sueco que fez um desenho do profeta Maomé com o corpo de um cachorro.

 

Segundo a Polícia, quatro homens e três mulheres foram presos em operações no sul do país. As prisões "são parte de uma investigação sobre uma conspiração para assassinar um indivíduo em outra jurisdição". O alvo foi identificado como Lars Vilks, autor do polêmico desenho.

 

Os oficiais disseram que todos os suspeitos têm a idades entre 20 e 40 anos, mas a nacionalidade deles não foi identificada. Países da Europa e até os EUA participaram das operações.

 

A Al-Qaeda do Iraque ofereceu uma recompensa de US$ 100 mil para quem eliminasse o cartunista sueco. Em 2007, ele publicou um desenho do profeta Maomé, símbolo máximo do islamismo, no corpo de um cachorro. O desenhista se mudou para um lugar secreto na Suécia e está sob proteção policial.

 

A lei islâmica condena qualquer reprodução gráfica do profeta, mesmo que favorável, e Vilks não é o primeiro a sofrer ameaças por reproduzir Maomé graficamente. Em 2005, o cartunista dinamarquês Kurt Westergaard desenhou o profeta usando um turbante-bomba. Em janeiro, um somali foi preso após invadir sua casa com um machado. Para os muçulmanos, chamar alguém de cachorro é uma ofensa grave.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.