Primeiras-damas do G8 visitam área devastadas pelo terremoto

Ministras italianas acompanharam o grupo; Carla Bruni, primeira-dama francesa, faz visita sozinha

Efe,

09 de julho de 2009 | 14h20

As esposas dos chefes de Estado e de Governo que assistem à Cúpula do Grupo dos Oito (G8, os sete países mais desenvolvidos e a Rússia) visitaram nesta quinta-feira, 9, o centro histórico de L'Aquila, uma das áreas da capital de Abruzzo mais devastadas pelo terremoto de 6 de abril.

 

Acompanhadas pelas ministras da Educação e de Igualdade de Oportunidades italianas, Mariastella Gelmini e Mara Carfagna, as primeiras-damas ouviram as explicações sobre como foi o terremoto, os danos causados, assim como a história dos monumentos, palácios e ruas destruídas.

 

Michelle Obama liderou o grupo nos escombros em Abruzzo. Foto: Charles Dharapak/AP

 

Todas se mostraram muito interessadas e algumas não duvidaram em tirar fotos de edifícios como o Duomo (a catedral) e o Palácio do Governo (a Prefeitura), cuja fachada destruída, com colunas que parecem que vão desabar, causou grande impressão no presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

 

A esposa de Obama, Michelle também se interessou por esse edifício e lia com atenção os painéis instalados nas ruas, nos quais, entre outros, são descritas as obras que serão realizadas.

 

A visita aconteceu em uma manhã ensolarada e quente, e teve a participação de 12 primeiras-damas, entre elas, além de Michelle Obama, das esposas dos presidentes do México, Margarita Zavala, e da África do Sul, Nompumelelo Ntuli Zuma; e das mulheres dos primeiros-ministros do Reino Unido, Sarah Brown; do Japão, Chikako Aso, e da Suécia, Filippa Reinfeldt.

 

Separada

 

A reunião não contou com a presença de Carla Bruni, esposa do presidente da França, Nicolas Sarkozy, chegou mais tarde a L'Aquila para acompanhar o marido durante a Cúpula do G-8.

 

Carla se dirigiu diretamente ao quartel da Guarda de Finanças, onde acontece o encontro, situado na zona de Coppito, nos arredores de L'Aquila, onde ficará hospedada.

 

A primeira-dama francesa fará a visita sozinha, apenas com seu marido, e deve anunciar os projetos de restauração de monumentos da área que serão financiados pela França.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.