Primeiro-ministro belga forma governo interino

Enquanto isso, os partidos ganhadores das eleições de junho negociam uma coalizão estável

Efe,

19 de dezembro de 2007 | 00h57

O primeiro-ministro belga em fim de mandato Guy Verhofstadt chegou a um acordo para a formação de um governo interino na Bélgica, que vai durar três meses. Enquanto isso, os partidos ganhadores das eleições de junho negociam uma coalizão estável. O governo será integrado por membros de cinco partidos: os liberais flamengos do Open Vld, do próprio Verhofstadt; os social-cristãos flamengos do CD&V; os socialistas francófonos do PS; os reformistas francófonos do MR; e os "humanistas" francófonos do Cdh. Segundo a agência Belga, o Cdh, partido que apresentava mais resistências a compor um gabinete de crise, aceitou nesta madrugada a última oferta de Verhofstadt. O governo transitório, construído com base na coalizão "violeta" (liberal-socialista) em fim de mandato, incorpora os democratas-cristãos (CD&V e Cdh), que ganharam as eleições de junho. Ela poderá obter a confiança do Parlamento ainda esta semana, no sábado ou domingo. Vehfostadt tinha aceitado a incumbência do Rei Alberto II de formar um governo de exceção, com mais competências que a mera gestão dos assuntos correntes, devido à incapacidade dos partidos de chegar a um acordo sobre um programa comum. As diferenças irreconciliáveis entre as comunidades flamenga e francófona têm tornado impossível por enquanto a formação de uma coalizão de democratas-cristãos e liberais, após mais de seis meses de negociações.

Tudo o que sabemos sobre:
Bélgica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.