Primeiro-ministro britânico mostra preocupação com inflação alta

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse neste domingo que está preocupado com alta da inflação no país, mas expressou seu apoio ao chefe do Banco da Inglaterra (banco central), Mervyn King.

REUTERS

09 de janeiro de 2011 | 11h20

"Se olhar os números recentes (da inflação), são preocupantes, porque estão bastante fora do que o Banco da Inglaterra deveria entregar", afirmou Cameron no programa de Andrew Marr, na emissora BBC.

"A inflação é extremamente prejudicial, destrói as economias das pessoas. Não queremos voltar a ter um problema inflacionário como no passado", acrescentou.

Cameron afirmou que 2011 será um ano difícil para os britânicos, já que passaram a fazer efeito as reduções nos gastos estatais, introduzidas por sua coalizão conservadora. Contudo, ele também disse que é necessário cortar um déficit vigente que passa de 10 por cento da produção anual.

Em 2010, a inflação esteve pelo menos um ponto percentual acima da meta de 2 por cento, estabelecida pelo BoE, e se prevê que, no início deste ano, ela se aproxime dos 4 por cento, após um aumento no Imposto de Valor Agregado (VAT) que entrou em vigência na semana passada.

O Banco da Inglaterra fixa taxas de juros de forma independente e enfrenta um dilema sobre elevá-las ou não de 0,5 por cento para combater a inflação, em um momento no qual os cortes de gastos começam a pesar sobre a frágil economia da nação.

Cameron elogiou King, chefe do banco central, apesar da alta da inflação.

"Acredito que Mervyn King é um excelente banqueiro central e creio que tem feito um trabalho muito bom", afirmou.

(Reportagem de Keith Weir)

Tudo o que sabemos sobre:
GRABRETANHAINFLACAOCAMERONDS3A*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.