Príncipe Harry quer ser enviado novamente ao Afeganistão

Segundo The Sun, terceiro na linha de sucessão pediu para receber uma nova missão no país

Efe,

29 de agosto de 2008 | 06h59

O príncipe Harry, disse que sente saudades da guerra contra os talebans e pediu a seus chefes militares que lhe enviem novamente à frente de batalha no Afeganistão. O neto da rainha Elizabeth II, terceiro na linha de sucessão ao trono britânico, pediu para receber uma nova missão nesse país como a que realizou no início de ano, informa nesta sexta-feira, 29, o diário The Sun, que cita uma fonte militar. Harry, 23 anos, retomará na próxima semana seu treinamento com o regimento dos Blues and Royals no quartel Combermere, de Windsor. "Harry não esconde de ninguém que quer estar lá (no Afeganistão) quando o regimento voltar à frente de batalha no próximo ano", disse a fonte ao tablóide. O príncipe participará em breve de manobras dos Blues and Royals que durarão algumas semanas, e no começo do próximo ano deve participar de outros exercícios militares com fogo real no Canadá. Em abril, o regimento começará seis semanas de treinamento tático intenso a fim de se preparar para combater insurgentes no país asiático. O príncipe Harry passou as dez primeiras semanas deste ano lutando na província afegã de Helmand, mas teve de interromper sua missão em março e retornar ao Reino Unido depois de um site americano revelar sua presença no Afeganistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.