Arquivo/Reuters
Arquivo/Reuters

Prostituta diz a revista que ainda tem revelações sobre Berlusconi

Patrizia D'Addario disse à 'Vanity Fair' que pretende divulgá-las em seu segundo livro

Efe,

14 de junho de 2010 | 18h55

ROMA- A prostituta italiana Patrizia D'Addario, que garante ter mantido relações sexuais com o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, disse que ainda tem revelações a fazer sobre as noites que passou ao lado do líder.

 

D'Addario concedeu uma entrevista à edição italiana da revista Vanity Fair, à venda a partir desta terça-feira, 15. As declarações da prostituta chegam quase um ano depois da primeira entrevista que ela concedeu ao jornal italiano Corriere della Sera, na qual disse que recebeu dinheiro para ir a diversas festas em uma residência de Berlusconi.

 

Agora D'Addario afirma que "há coisas sobre estas noites que ainda não foram divulgadas" e que ela pretende explicar em seu segundo livro.

 

Durante a entrevista, ela insistiu em dizer que não é uma prostituta e que não frequentou a casa de Berlusconi por dinheiro.

 

Como argumento, lembrou que não aceitou um envelope contendo 10 mil euros que lhe ofereceram na primeira vez que foi a uma das festas do primeiro-ministro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.