Protesto contra monarquia mobiliza militantes no centro de Madri

Centenas de homens e mulheres se concentraram na Puerta del Sol, centro de Madri, para pedir a mudança do sistema político no dia da entronização de Felipe VI

Andrei Netto, Enviado especial/Madri

19 de junho de 2014 | 16h15

Mesmo proibidos de se manifestar, partidários da mudança do sistema político na Espanha pediram o fim da monarquia e a adoção da república, no dia em que Felipe VI assumiu o trono e o posto de chefe de Estado do país.

No início da noite desta quinta-feira, 19, um protesto reunindo militantes republicanos mobilizou cerca de 300 pessoas. Aos gritos de "Re-pú-bli-ca!" e "Não é uma democracia, é uma ditadura!", o grupo se concentrou em frente ao cerco policial montado em Puerta del Sol, no centro de Madri.

A Justiça havia proibido protestos no dia da coroação, e as forças de ordem, com presença ostensiva e realizando detenções, deixaram claro que não permitiriam o aumento da concentração no local, palco do movimento dos Indignados, em 2011.

Felipe VI foi coroado horas após a abdicação formal da condição de rei da Espanha por Juan Carlos, seu pai, que havia anunciado a decisão em 2 de junho.

Naquela data, milhares de republicanos se concentraram nas principais cidades do país pedindo a realização de um plebiscito sobre a manutenção ou não da monarquia. A proposta, porém, foi ignorada pelo governo espanhol. Na quarta-feira, o primeiro-ministro, Mariano Rajoy, chegou a comemorar a "normalidade política" na Espanha e o suposto apoio da opinião pública à monarquia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.