AP
AP

Protestos na Moldávia foram organizados pelo Twitter, diz CNN

Manifestantes tomaram o Parlamento em ato contra resultado das eleições; mais de 10 mil pessoas protestaram

Agências internacionais,

08 de abril de 2009 | 17h17

Os violentos protestos contra o governo da Moldávia, que incluiu a tomada do Parlamento do país, foram organizados pelos sites de relacionamento Facebook e Twitter, informou a rede CNN nesta quarta-feira, 8. As manifestações reuniram mais de 10 mil pessoas na principal praça da capital na terça. Mais de 200 pessoas foram presas e dezenas ficaram feridas.

 

Veja também:

linkPolícia da Moldávia retoma controle do Parlamento

 

Nesta quarta, o presidente da Moldávia, Vladimir Voronin, acusou a vizinha Romênia de apoiar manifestantes anticomunistas que invadiram seu escritório e o Parlamento. Os comentários de Voronin aumentaram as tensões entre os dois países, que se unem pelo idioma e pela história, mas que vêm seguindo rumos diferentes desde o colapso da União Soviética.

 

A Romênia tem olhado para o Ocidente e tornou-se membro da União Europeia em 2007, enquanto o governo comunista da Moldávia possui laços mais fortes com a Rússia. A polícia retomou o controle do Parlamento e do gabinete presidencial nesta quarta, depois de os locais serem invadidos por manifestantes que afirmam que as eleições parlamentares do fim de semana foram fraudulentas.

 

"A Romênia está por trás desses protestos e eventos na Moldávia", disse Voronin. Seu Partido Comunista, que está no poder desde 2001, venceu com cerca de 50% dos votos as eleições de domingo. O presidente declarou o embaixador romeno para a Moldávia, Filip Teodorescu, "persona non grata" e disse que planeja impor a necessidade de visto para cidadãos romenos entrarem no país.

 

Em um comunicado, o Ministério das Relações Exteriores da Romênia afirmou que rejeita categoricamente as acusações de que o país esteja envolvido nos protestos. "É inaceitável que autoridades comunistas transfiram para a Romênia a responsabilidade por seus problemas internos."

 

Autoridades da Moldávia estão preocupadas sobre o que consideram uma crescente influência da Romênia no país. A Moldávia foi parte da Romênia até 1940. Cerca de dois terços dos moldávios são de etnia romena e falam uma língua praticamente idêntica. Os demais moldávios são de etnia russa e ucraniana.

Tudo o que sabemos sobre:
Moldáviaprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.