PS e centro-direita disputam eleições municipais em Portugal

Mais de nove milhões de portugueses foram convocados às urnas, pela segunda vez em duas semanas

Efe

11 de outubro de 2009 | 05h07

O Partido Socialista (PS) e a oposição de centro-direita, disputam a maioria das prefeituras nas eleições municipais que começaram neste domingo em Portugal com a abertura dos colégios às 8h (4h de Brasília).

Mais de nove milhões de portugueses foram convocados às urnas, pela segunda vez em duas semanas após as eleições legislativas enfrentadas também pelo PS e por seu principal rival, o Partido Social-Democrata (PSD).

O presidente da República, o conservador Aníbal Cavaco Silva, exortou horas antes do início da votação, para se ir às urnas em mensagem à nação na qual destacou a importância da administração local para solucionar os problemas dos cidadãos.

O pleito municipal anterior, em 2005, deu a vitória ao PSD e confirmou sua hegemonia nas 308 Prefeituras portuguesas com cerca de 40% de votos conseguidos sozinho ou em aliança com partidos pequenos.

O PS, que obteve menos de 36% naquele pleito, se mantém por outro lado no poder central e após ganhar as eleições legislativas do dia 27 de setembro espera-se que na próxima semana seu líder e atual primeiro-ministro interino, José Sócrates, receba a incumbência de formar um Governo em minoria.

Os dois principais partidos portugueses dividem as Prefeituras das maiores cidades de Portugal e as pesquisas predizem que o PS vai ficar com Lisboa e o PSD alcançará seu terceiro mandato consecutivo no Porto.

A votação termina às 19h (15h de Brasília) no Portugal continental e na Ilha da Madeira, e uma hora depois nos Açores, cujo fechamento das urnas permitirá conhecer as primeiras projeções dos resultados.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesPortugal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.