Putin anuncia planos para fortalecer indústria militar russa

Em abertura de feira aeroespacial, presidente revela intenção de reposicionar a Rússia entre potências

Agêncais internacionais,

21 de agosto de 2007 | 18h09

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, abriu nesta terça-feira, 21, a maior feira de aviação russa da era pós-soviética anunciando planos ambiciosos para reviver o poderio militar do país, assim como seu objetivo de transformar a ex-potência no maior produtor de aeronaves do planeta.   Veja Também República Checa erra se aceitar radar dos EUA Jatos abordam bombardeio russo perto do espaço aéreo britânico   "A tarefa que temos a nossa frente é manter nossa liderança na produção de tecnologia militar para aviação", disse um orgulhoso Putin durante a abertura do evento em uma base área soviética desativada na cidade de Zhukovsky .   Ele também incentivou um incremento na produção de aeronaves civis. Os produtores russos "devem entrar de maneira mais proativa no mercado para aeronaves de passageiros e transportes, com uma produção mais competitiva", continuou.   Após o colapso soviético em 1991, o governo russo cortou drasticamente os gastos com sua indústria aeroespacial.   No entanto, as palavras de Putin vêm num momento em que o presidente tenta reafirmar a supremacia militar russa. Na semana passada, a o país realizou os primeiros exercícios militares com a China em solo russo e reiniciou a realização de patrulhas com bombardeios de longo alcance sobre os Oceanos Atlântico, Pacífico e Ártico.   O reinício desses vôos, que haviam sido cancelados com o fim da União Soviética, acontece em meio às crescentes tensões nas relações entre Estados Unidos e Rússia. Moscou rejeitou as críticas de Washington em relação às deficiências da democracia russa, posicionou-se contra a instalação de um sistema de mísseis na Europa e foi contrária a guerra do Iraque.   Nesta quarta-feira, um general de alta patente russo disse que a República Checa estaria cometendo "um grande erro" se permitir a instalação do escudo de mísseis americano em seu território.   Novos sistemas   Embora não concordem com as afirmações de Putin de que a Rússia já é o principal produtor de aeronaves militares, vários analistas vêem como significativos os avanços tecnológicos obtidos pelo país nos últimos anos, especialmente no campo de mísseis balísticos e nucleares de cruzeiro.   Nessa área estão inclusos os novos S-400 para interceptação de aeronaves e o míssil de cruzeiro supersônico Meteorit-A.   Segundo um analistas militar ouvido pelo diário britânico The Guardian, Putin não quer entrar em confronto com o Ocidente, mas está determinado a restabelecer a paridade estratégica da Rússia com os Estados Unidos após um período de fraqueza e humilhação na década de 1990.   Perguntado sobre o restabelecimento das patrulhas com bombardeios de longo alcance, o analista Ivan Safranchuk respondeu: "É significativo. Por 15 anos a liderança política russa vinha barrando os militares nesse assunto. Agora não estão mais."

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaVladimir Putin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.