Putin assina decreto de convocação para eleições legislativas

Data do pleito já era conhecida, mas campanha eleitoral não podia começar até decreto ser assinado

Efe,

02 de setembro de 2007 | 18h34

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou o decreto de convocação das eleições à Duma do Estado, câmara baixa do Parlamento, para 2 de dezembro, comunicou o serviço de imprensa do Kremlin. A data de realização do pleito parlamentar já era conhecida, pois os prazos em que deve acontecer estão contemplados na Constituição da Rússia. No entanto, formalmente a campanha eleitoral não começa até a publicação do decreto presidencial com a convocação das eleições. Pela primeira vez na história da Rússia pós-soviética, os 450 deputados da Duma serão escolhidos por listas de partidos, que para aceder à divisão proporcional de cadeiras terão de obter mais de 7% dos votos. Segundo o presidente da Comissão Eleitoral Central (CEC) da Rússia, Vladimir Churov, participarão das eleições de dezembro entre 10 e 12 partidos políticos. As inovações na lei eleitoral não foram bem recebidas pela oposição liberal, que considera que foram adotadas com o propósito de lhe impedir o acesso à Duma e fortalecer ainda mais as posições dominantes do oficialismo. O ex-primeiro-ministro Mikhail Kasianov, possível candidato nas presidenciais de março de 2008 pela coalizão opositora "A Outra Rússia" - integrada por forças liberais e de esquerda -, pediu o boicote às eleições legislativas. Segundo Kasianov, as emendas à lei eleitoral transformam o pleito de dezembro em uma "imitação de processo democrático".

Tudo o que sabemos sobre:
PutinRússiaEleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.