Putin concede indulto a magnata do petróleo russo Khodorkovsky

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou um decreto nesta sexta-feira concedendo indulto a um de seus adversários mais conhecidos, o ex-magnata do petróleo Mikhail Khodorkovsky, que passou uma década na cadeia.

Reuters

20 de dezembro de 2013 | 07h38

Putin anunciou na quinta-feira que iria indultar Khodorkovsky, que já foi o homem mais rico da Rússia e é considerado por críticos ao Kremlin um preso político.

Autoridades carcerárias regionais disseram que não podem confirmar uma reportagem da agência de notícias Interfax que afirma que Khodorkovsky já havia sido solto de uma prisão perto do Círculo Polar Ártico.

Putin, que parece ter tomado a medida em resposta às críticas ocidentais sobre a situação dos direitos humanos na Rússia antes da realização dos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, disse no decreto que a decisão de conceder o indulto a Khodorkovsky foi "guiada pelos princípios da humanidade".

Khodorkovsky foi preso em 2003 depois de se desentender com Putin. Ele foi condenado por fraude, roubo e lavagem de dinheiro em julgamentos que prejudicaram a imagem do presidente russo no Ocidente.

Os críticos do Kremlin dizem que Khodorkovsky, de 50 anos, foi punido por contestar Putin. Segundo eles, a punição teve o objetivo de manter na linha outros magnatas e aumentar o controle do Estado sobre os lucros do petróleo.

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAPUTINPERDAOKHODORKOVSKY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.