Putin culpa Ucrânia de obstruir investigação sobre queda de avião da Malaysia Airlines

O presidente russo, Vladimir Putin, acusou nesta segunda-feira o governo da Ucrânia de interferir com a investigação sobre a queda do avião da Malaysia Airlines em julho, que matou 298 pessoas.

REUTERS

10 Novembro 2014 | 11h42

Investigadores independentes tiveram pouco acesso aos destroços do voo MH17 no leste da Ucrânia, em território que é controlado por separatistas pró-Rússia que combatem as forças do governo ucraniano. 

Putin fez os comentários em conversas com o primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, nos bastidores de uma conferência da região Ásia-Pacífico realizada na China.

Najib pediu por maior acesso ao local do acidente, mas Putin rejeitou a sugestão de que os separatistas estavam atrapalhando as investigações. 

“A referência de que o território do local do acidente é controlado pelos chamados separatistas pró-Rússia é totalmente infundada”, disse Putin. 

“Não são eles, mas o lado oposto que está constantemente atacando o local com artilharia e não permite os trabalhos por lá”, disse ele, acrescentando que a Rússia apóia uma investigação total e imparcial sobre a queda do avião. 

A aeronave caiu em 17 de julho em um voo de Amsterdã para Kuala Lumpur. A Ucrânia e países ocidentais acusaram os rebeldes de terem derrubado o avião com um míssil fabricado na Rússia, uma acusação negada por Moscou. 

(Por Alexei Anishchuk)

Mais conteúdo sobre:
RUSSIAUCRANIAPUTINMH17*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.