Putin demite chefe do Estado-Maior em meio à escândalo de corrupção

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, demitiu o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas nesta sexta-feira, substituindo o mais alto comandante militar do país três dias depois de demitir o ministro da Defesa por envolvimento em um escândalo de corrupção.

Reuters

09 de novembro de 2012 | 11h18

Putin afastou o general Nikolai Makarov do cargo de principal general da Rússia e o substituiu pelo general Valery Gerasimov, o comandante das forças russas na turbulenta região da Chechênia.

A troca na cúpula das Forças Armadas do país, que é uma potência nuclear e tem assento permanente no Conselho de Segurança da ONU, aconteceu rapidamente logo após a demissão abrupta do ministro de Defesa Anatoly Serdyukov, na terça-feira.

A mudança deixa claro que o novo ministro da Defesa, Sergei Shoigu, está imediatamente deixando sua marca no ministério. Putin disse que Gerasimov foi escolha de Shoigu.

"Acho que o ministro escolheu um candidato adequado e espero que vocês trabalhem duro e de forma eficiente", disse Putin em uma reunião com Shoigu e Gerasimov.

Serdyukov foi substituído após o início de uma investigação sobre corrupção em uma companhia do Ministério da Defesa. Ele fez muitos inimigos no mundo político e militar, ao realizar reformas para modernizar as Forças Armadas.

Gerasimov era vice-chefe do Estado-Maior desde 2010, e é um veterano dos Exércitos soviético e russo. Ele também foi apontado como primeiro vice-ministro da Defesa em um decreto assinado por Putin.

(Reportagem de Douglas Busvine)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAPUTINDEMITEGENERAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.