Putin diz que Rússia salvou vida de ex-presidente ucraniano

Para o presidente da Rússia, Viktor Yanukovich sofria risco de vida com revolução que tomava o poder em Kiev, capital da Ucrânia 

REUTERS

15 Março 2015 | 13h52

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, falando num filme pré-gravado sobre a anexação da Crimeia pela Rússia, disse que a vida do ex-presidente da Ucrânia Viktor Yanukovich estava em perigo por conta da "revolução" que tomaria o poder em Kiev.

"Para nós ficou claro, e nós recebemos informações de que havia planos não somente para a captura dele, mas, preferencialmente para aqueles que realizaram o golpe, para a sua eliminação física. Como uma famosa figura histórica disse: sem pessoa, sem problema", disse Putin no filme, segundo a Interfax.

Protestos em massa devido à decisão de Yanukovich de recuar de um acordo comercial com a União Europeia em favor de laços mais próximos com Moscou o derrubaram em fevereiro do ano passado. Ele fugiu para a Rússia.

De acordo com a Interfax, Putin afirmou que salvar a vida de Yanukovich e da sua família foi um "gesto bom".

Putin não é visto em público ou ao vivo na TV desde 5 de março, o que tem resultado numa onda de ironias na internet, apesar da insistência oficial de que tudo está normal do Kremlin.

O canal de TV independente Dozhd disse que o Kremlin havia evitado comentar um relato de que Putin não estaria em Moscou, e sim na sua casa na província de Novgorod, nos últimos dias.

O filme que será transmitido à noite na Rússia documenta os eventos que levaram à anexação de Crimeia e dá detalhes das últimas horas que Yanukovich passou na Ucrânia.

Putin, em entrevista ao documentário, disse que Yanukovich havia se comunicado em 21 de fevereiro do ano passado com planos para deixar a capital, onde ocorriam protestos de rua violentos.

"Eu o falei que no meu ponto de vista em situações como essa era melhor não deixar a capital”, disse Putin.

De Kiev, Yanukovich viajou para Donetsk, onde ele pediu a ajuda de Putin. O presidente russo sugeriu um encontro no sul da Rússia, mas o avião do ex-presidente não recebeu permissão para decolar.

Ele então foi para a Crimeia, de onde ele atravessou para a Rússia.

Putin, que disse que pessoalmente organizou a anexação da Crimeia, também afirmou no filme que a Rússia estava pronta para trazer a suas forças nucleares para estado de combate se necessário durante a mudança de poder na Ucrânia.

Mais conteúdo sobre:
RUSSIA PUTIN YANUKOVICH*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.