Putin diz ser contraproducente anunciar fracasso de missão de Annan

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta sexta-feira que era "contraproducente" anunciar que a missão do enviado especial Kofi Annan para a paz na Síria fracassou, apesar da contínua violência no país, e mostrou cautela quanto a sanções da ONU.

REUTERS

01 de junho de 2012 | 17h38

"O senhor Annan é uma pessoa muito experiente e respeitável, e devemos fazer tudo para que sua missão tenha sucesso. Acho que é contraproducente anunciar sua missão como um fracasso antecipado", disse Putin em entrevista coletiva com o presidente francês, François Hollande.

"Sobre sanções, tal questão precisa ser discutida primeiramente pelo Conselho de Segurança da ONU. Sanções nem sempre funcionam. A principal coisa que precisamos fazer é evitar que a situação se desenvolva sob o pior cenário e não deixar que uma guerra civil se instale."

(Reportagem de Gleb Bryanski e John Irish, em Paris)

Mais conteúdo sobre:
RUSSIASIRIAFRANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.