Putin nomeia novo premiê e embola corrida presidencial

Decisão de nomear o relativamente desconhecido Viktor Zubkov surpreendeu elite política russa

Agências de notícia,

12 de setembro de 2007 | 10h10

O presidente russo, Vladimir Putin, nomeou o chefe do Serviço Federal de Controle Financeiro do país, Viktor Zubkov, para o cargo de primeiro-ministro, informou o presidente da câmara baixa do Parlamento (Duma) nesta quarta-feira, 12. A indicação foi feita logo após a renúncia do premiê Mikhail Fradkov.   Veja também: Rússia diz ter bomba mais forte que dos EUA Putin dissolve governo a pedido de premiê   "O presidente da Federação Russa enviou a indicação de Viktor Zubkov ... para aprovação da Duma", disse Boris Gryzlov, presidente do Casa, a jornalistas. Gryzlov informou que a câmara deve discutir a indicação na sexta-feira, 14.   A decisão vem à tona menos de três meses antes das eleições parlamentares e a meio ano do pleito no qual os russos escolherão o sucessor de Putin.   Antes da indicação, Zubkov comandava a secretaria de governo responsável pelo combate à lavagem de dinheiro. O novo premiê também trabalhou com o presidente na prefeitura da cidade de São Petersburgo, no início da década de 1990.   Segundo analistas, Putin surpreendeu a elite política russa ao escolher um político pouco conhecido do público para formar um novo gabinete. Isso porque a indicação coloca Zubkov em posição privilegiada para concorrer à presidência da Rússia, no início do próximo ano.   Mais cedo, numa grande reforma, Putin dissolveu a administração do primeiro-ministro Mikhail Fradkov, abrindo caminho para a nomeação de um novo chefe de governo.   Corrida presidencial   O desmonte do gabinete veio depois de um apelo de Fradkov, que pediu a Putin que dissolvesse seu governo alegando que "eventos políticos significativos aproximam-se no país". As palavras são uma alusão à corrida eleitoral para o parlamento, que ocorre em dezembro, e para a Presidência, que acontece em março de 2008.   Durante a última transferência de poder presidencial, em 1999, o então presidente Boris Yeltsin nomeou Putin como premiê, meses antes de o ex-agente da KGB se tornar presidente interino.   Acredita-se que Putin anunciará em dezembro o candidato que terá seu apoio para concorrer à Presidência.   Dois vice-primeiros-ministros - Serguei Ivanov, ex-ministro da Defesa, e Dmitry Medvedev, alto executivo da estatal do petróleo OAO Gazprom - são qualificados por analistas como principais concorrentes. Os dois eram, inclusive, os mais cotados para suceder Fradkov.   Depois de dispensar Fradkov, Putin argumentou que a mudança era necessária para "preparar o país" para as eleições dos próximos meses. As eleições parlamentares estão marcadas para 2 de dezembro deste ano, três meses antes do pleito presidencial.   Aprovação   Gryzlov, presidente da Duma, disse que Putin pediu à casa que aprovasse a nomeação de Zubkov, que vinha chefiando o Serviço Federal de Monitoramento Financeiro.   Gryzlov manifestou apoio à indicação de Zubkov, de 65 anos. "A vida e as atividades profissionais exercidas por ele em diferentes campos indubitavelmente o qualificam a chefiar o gabinete da Federação Russa", declarou. Segundo Gryzlov, é possível que a Duma vote a indicação ainda esta semana.   Extremamente popular entre os russos, Putin é considerado o responsável pela estabilidade e pela relativa prosperidade do país depois da caótica presidência de seu antecessor, o falecido Boris Yeltsin.   Analistas consideram que quem quer que receba o apoio de Putin vença com facilidade as eleições presidenciais.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaPutinZubkov

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.